SOBRE

Isabela Sancho é escritora, ilustradora e psicanalista.

Graduada pela Unicamp, desenvolve Iniciação Científica financiada pela FAPESP, seguindo cursos no Instituto de Artes e estudando por um ano no Politécnico de Milão. Completa a Formação em Psicanálise pelo Centro de Estudos Psicanalíticos, além dos Cursos de Livre Preparação do Escritor em Poesia e Prosa, na Casa das Rosas.

Tem escritos publicados em jornais, revistas e portais no Brasil, Itália, Portugal, Galiza e Estados Unidos. Participa do corpo de poetas da Fazia Poesia, após ter vencido o primeiro prêmio em vídeo promovido pela seleção. A partir de 2022, passa a contribuir para o portal com a coluna fixa Atenções flutuantes: entre a poesia e a psicanálise, além de integrar o Conselho Editorial do Centro de Estudos Psicanalíticos.

Ilustra Mulheres de Hopper (Patuá), livro de estreia de Kátia Marchese e vencedor do ProAC Poesia, e Tantas que aqui passaram (Mormaço), livro de Maria Luiza Machado. Em literatura infantil, ilustra e idealiza o projeto gráfico dos livros O Nariz que queria ser feliz (Cuore), de Tânia Judar, Os olhos de Anita (Cuore), de Marcelo Frota, Poema pra boi dormir (Cuore), de Daniele Pacheco e A árvore de Lila (Primata), de Marcelo Frota.

Participa da coletânea de poesia 
Quem dera o sangue (Urutau). É autora e ilustradora da plaquete Quem fala em seu nome (Primata), do livro infantil A invenção das Isabélulas (Cuore), dos livros de poemas As flores se recusam (Patuá - menção honrosa no Prémio Literário Glória de Sant'Anna, Portugal), A depressão tem sete andares e um elevador (Penalux - menção honrosa no Prémio Literário Glória de Sant'Anna, Portugal, 2020), Monstera (Urutau - finalista no Prêmio Guarulhos de Literatura), Olho d'água, espelho d'alma (Folheando - vencedor do Prêmio Literatura & Fechadura), além do livro de contos A nudez extinta (Urutau).